Opinião - 01/08/2017 - 01:16:03

 

Planilhas da JBS registram repasses a políticos

Planilhas da JBS registram repasses a políticos

 

Júlio César Cardoso * .

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Júlio César Cardoso - Bacharel em Direito e servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC

Júlio César Cardoso - Bacharel em Direito e servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC


Qual o politico do alto escalão (e até do baixo clero) que não recebeu propina para as suas campanhas políticas? Propina, sim, pois caixa dois é dinheiro sujo. O político que não tiver culpa em cartório que atire a primeira pedra!

A fortuna acumulada por grupos como JBS e Odebrecht é decorrente das facilidades que as empreiteiras encontraram no submundo da política nacional ao firmarem contratos espúrios com órgãos públicos, mediante o pagamento de propina a políticos e partidos, que serviram para bancar as suas campanhas milionárias políticas.


Vejam abaixo, para reflexão, a notícia da Folha de S.Paulo

“Planilhas da JBS registram repasses de R$ 1,1 bilhão", afirma revista Época

Revista Época

Documentos publicados pela revista "Época" neste sábado (29) mostram como a JBS organizava pagamentos a políticos. As planilhas com a contabilidade detalhada fazem parte do material que a empresa entregará à Procuradoria-Geral da República como parte de seu acordo de delação, segundo a revista.

As tabelas têm informações que abrangem desde a eleição municipal de 2006 até a campanha de 2014. Nos últimos 11 anos, os repasses chegaram a R$ 1,1 bilhão, de acordo com os papéis. A empresa também apresentará comprovantes bancários, notas fiscais e contratos.

A pedido do presidente Michel Temer (PMDB), diz a revista, foram distribuídos R$ 21,7 milhões para aliados. Também são mencionados o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com recebimento de R$ 50 milhões, e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), com R$ 18 milhões, entre outros. Para o PT, de acordo com os documentos, foram US$ 151 milhões pagos no exterior e R$ 111,7 milhões no Brasil.

O executivo Ricardo Saud, delator da JBS, já havia revelado o pagamento de propina a 1.829 candidatos eleitos.

Procurados, os políticos citados negaram envolvimento no esquema e afirmaram só receber doações legais.”

A farra de dinheiro ilícito a políticos não foi uma exclusividade da JBS. Vejam o que afirmou Marcelo Odebrecht, executivo da empreiteira: “Duvido que tenha  um político no Brasil que tenha se eleito sem caixa dois, e, se ele diz que se elegeu sem, é mentira porque recebeu do partido. Então, impossível."

* Júlio César Cardoso - Bacharel em Direito e servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC

 



;

Links
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias




Janot pede impedimento de Gilmar Mendes para julgar Jacob Barata Filho


Governo quer reduzir participação da União na Eletrobras


Sérgio Moro condena Renato Duque e ex-executivos da Andrade Gutierrez em processo da Lava jato


Chanceler venezuelano chama presidentes do Brasil e do Paraguai de 'imorais'


Praias de Santos passam a ser geridas pela prefeitura a partir do dia 21 de agosto


Inscrições para vestibular da USP podem ser feitas até 11 de setembro