Politica - 06/09/2018 - 23:45:49

 

Bolsonaro leva facada de extremista em Minas Gerais

Bolsonaro leva facada de extremista em Minas Gerais

 

Da Redação .

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Bolsonaro é atacado de forma covarde por Adélio Bispo de Oliveira, extremista e ex-filiado do PSOL de Minas Gerais

Bolsonaro é atacado de forma covarde por Adélio Bispo de Oliveira, extremista e ex-filiado do PSOL de Minas Gerais


Jair Bolsonaro participava de atos de campanha na cidade de Juiz de Fora, localizada na Zona da Mata mineira. A previsão era passar o dia pedindo votos e participando de reuniões. Mas, à tarde, durante uma caminhada, com centena de apoiadores, no calçadão da Rua Halfeld, no centro da cidade e ponto de encontro dos juizforanos, ele foi alvo de um meliante, do sexo masculino, armado com uma faca.

Após o ataque, o meliante extremista foi subjulgado por um militar, cabo Clécio da PM, que é candidato a deputado na chapa de Bolsonaro, que impediu que apoiadores o linchassem. A PM mineira o retirou do local e o levou para uma delegacia da Polícia Federal, em Juiz de Fora.

O suspeito preso de ter esfaqueado o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, disse em depoimento à polícia que o ataque foi 'a mando de Deus'. De acordo com informações obtidas após acesso ao depoimento, Adéilio Bispo de Oliveira alegou ainda motivos pessoas para o ataque.

Tentativa de assassinato de Bolsonaro

Logo após Adélio ser detido no local do ataque, ele disse ao tenente-coronel Marco Antonio Rodrigues de Oliveira, comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, que cometeu o crime por ter divergências políticas com Bolsonaro e descartou motivação partidária para o ato.

Sua história e motivação parecia mudar a cada momento que era questionado.

O meliante, preso em flagrante, mora em Montes Clarinhos (MG) e atualmente está desempregado. Uma das últimas ocupações dele foi como servente de pedreiro, mas ele já trabalhou em cafeteria e hotel.

Nas redes sociais, Adélio é um crítico recorrente de Bolsonaro.

Tentativa de assassinato de Bolsonaro

Filiação Partidária

Adélio chegou a ser filiado ao PSol de 2007 a 2014. Ele postou imagens em manifestação pedindo a renúncia do presidente Michel Temer em maio deste ano. Também há no perfil dele imagens de participação em ato com militantes por "Lula Livre".

Tentativa de assassinato de Bolsonaro

Adelio Bispo foi indiciado pela Polícia Federal com base no artigo 20 da Lei de Segurança Nacional e pode ser condenado a 20 anos de prisão.

Adelio Bispo também costuma postar com frequência sobre maçonaria.

Em depoimento à PF, Adélio Bispo de Oliveira admitiu motivação política e religiosa no atentado ao deputado Jair Bolsonaro. Por esse motivo, ele foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional – como registramos mais cedo.

Fernando Franceschini, que acompanha as investigações, reiterou que a polícia apreendeu quatro celulares (dois estavam com Adélio e outros dois na pensão em que estava hospedado).

“A pensão já estava paga. 300 reais em dinheiro. Mais os quatro celulares e o notebook. Muito estranho para alguém que estava desempregado.”

Segundo ele, há indícios de que Adélio acompanhou Bolsonaro em eventos políticos nos últimos dois meses, inclusive no Rio.

A PF agora vai pedir a quebra dos sigilos telefônico e bancário do criminoso.

Socorro a Bolsonaro

O atendimento a Bolsonaro foi rápido. Após ser ferido com o fito de mata-lo por Adélio, o candidato do PSL foi levado por veículo particular para o atendimento de urgência e encaminhado para a Santa Casa de Juiz de Fora.

Boletim médico divulgado pela Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora informa que Bolsonaro deu entrada no início da tarde no hospital com "lesão por material perfurocortante na região do abdômen".

"Ele foi atendido na urgência, passou por um exame de ultrassom e foi para o centro cirúrgico", diz a Santa Casa.

Tentativa de assassinato de Bolsonaro

De acordo com seu filho Flavio Bolsonaro, a situação de seu pai "foi mais grave que esperávamos". "A perfuração atingiu parte do fígado, do pulmão e da alça do intestino. Perdeu muito sangue, chegou no hospital com pressão de 10/3, quase morto", afirmou pouco depois das 18h. A condição de Bolsonaro ficou estável, segundo o filho.

A informação inicial era de que o ferimento havia sido superficial, mas exame indicou a suspeita de uma lesão no fígado. No entanto, os médicos constataram que não houve lesão no fígado, mas no intestino grosso e delgado alé de uma artéria que teria sido responsável pela hemoragia. 

O estado de Bolsonaro é considerado estável.

De acordo com informações, após avaliação, Bolsonaro deverá ser transferido para o Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Outros suspeitos

Pouco tempo depois de Adélio ser preso, a Polícia Militar também prendeu Hugo Ricardo Bernardo, porque estava incitando atos de violência contra apoiadores de Bolsonaro. Ele foi levado para prestar depoimento na Delegacia de Plantão da Polícia Civil.

Outro suspeito, Bruno Pereira da Silva, também foi encaminhado para a delegacia para averiguação.

Segundo a PM, não é possível afirmar se Hugo ou Bruno, detidos para averiguação, tinham alguma ligação com Adélio.

Tentativa de assassinato de Bolsonaro
;

Links
Vídeo


Últimas Notícias




Dólar fecha em queda e Bovespa sobe 2,83%


Governo decide manter começo do horário de verão em 4 de novembro


BTG Pactual/FSB: Jair Bolsonaro tem 59% dos votos válidos; Haddad, 41%


Boleto acima de R$ 100 poderá ser pago em qualquer banco


Carla Morando está na liderança para estadual no Grande ABC


3,6 milhões de títulos de eleitor no país foram cancelados por não fazer o cadastro biométrico