Opinião - 22/03/2024 - 00:50:49

 

CASO ROBINHO

CASO ROBINHO

 

Vicente Barone * .

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Por uma margem significativa de votos, 9 a 2, o STJ decidiu que Robinho deveria começar a cumprir sua pena de prisão no Brasil.

Por uma margem significativa de votos, 9 a 2, o STJ decidiu que Robinho deveria começar a cumprir sua pena de prisão no Brasil.


O caso de Robinho, ex-jogador de futebol, chama a atenção internacional por ter sido condenado por estupro coletivo. Em 2013, Robinho e outros cinco brasileiros foram acusados ​​de estuprar uma mulher albanesa em uma boate de Milão, na Itália. Após um julgamento longo e polêmico, Robinho foi condenado a nove anos de prisão em 2017. A sentença foi posteriormente mantida por um tribunal de apelação em 2020 e confirmada pelo

Supremo Tribunal italiano em 2022.

Desdobramentos do caso e sentença de Robinho

Desde o início, o caso de Robinho gerou discussões acaloradas no Brasil e no exterior. As alegadas violações colectivas envolvendo um famoso jogador de futebol levantaram questões importantes sobre o tratamento dos crimes sexuais e o estatuto das celebridades no sistema judicial.

A condenação de Robinho em 2017 foi resultado de um processo jurídico complexo e abrangente, incluindo provas, provas forenses e argumentos jurídicos. A decisão do tribunal italiano foi amplamente divulgada pela mídia internacional, fazendo com que o caso fosse acompanhado mais de perto.

Pedidos e decisões adicionais do STJ Brasil

Como a Constituição brasileira proíbe a extradição de cidadãos brasileiros, a Itália pediu ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) do país que permitisse que Robinho cumprisse pena no Brasil. Após meses de discussão e análise da lei, o STJ do Brasil tomou uma importante decisão em março de 2024.

Por uma margem de votos significativa, 9 a 2, o STJ decidiu que Robinho deveria começar a cumprir pena de prisão no Brasil. Esta decisão é o resultado de um processo judicial cuidadoso, tendo em conta os aspectos jurídicos e o significado internacional do caso.
impacto da comunicação e cooperação jurídica internacional

A decisão do STJ Brasil de permitir que Robinho cumprisse pena em seu país causou muitos danos na mídia do Brasil e da Itália. Jornais italianos proeminentes como “La Gazzetta dello Sport” e “Corriere dello Sport” enfatizaram a importância desta decisão e o seu impacto no caso de Robinho.

O caso de Robinho é um exemplo notável de cooperação judiciária internacional, destacando as complexidades e os desafios que o sistema de justiça enfrenta ao lidar com crimes internacionais. A cooperação entre o Brasil e a Itália, neste caso, demonstra a importância da cooperação internacional na busca pela justiça e pela aplicação da lei.

Considerações finais e próximos passos

À medida que o caso de Robinho continua a evoluir, é importante observar que a decisão do STJ Brasil não marca o fim dos processos judiciais. A defesa de Robinho ainda tem direito de recorrer ao próprio STJ e ao Supremo Tribunal de Justiça (STF), buscando alternativas legais para sua situação.

Enquanto isso, a comunidade brasileira e internacional continua acompanhando de perto a evolução deste caso, que levanta questões importantes sobre justiça, responsabilidade e o papel das celebridades na sociedade atual.

* Vicente Barone é analista político, editor chefe do Grupo @HORA de Comunicação, esteve à frente de diversas campanhas eleitorais como consultor político e de marketing, foi executivo de marketing em empresas nacionais e multinacionais, palestrante nacional e internacional para temas de marketing social, cultural, esportivo e de trasnporte coletivo, além de ministrar aulas como professor na área para 3º e 4º graus - www.barone.adm.br

;

Links
Vídeo


Últimas Notícias




FAB diz estar de prontidão para resgatar brasileiros no Oriente Médio


Entenda o ataque sem precedentes do Irã contra Israel e o que esperar do conflito


Museu da Língua Portuguesa estreia feira mensal de troca de livros


Anfavea quer volta do Salão do Automóvel


CNJ suspende norma que proíbe uso de cropped no STJ


Praia Clube e Minas são finalistas da Superliga Feminina de Vôlei